Problemas no Trabalho. O que fazer?

Padrão

Compartilhe este artigo!

Quando um trabalhador enfrenta problemas no ambiente de trabalho, nem sempre eles têm em mente o que é possível fazer em tais situações. Aqui na Inglaterra, as opções vão do informal ao mais formal. Saber por onde começar e como lidar com problemas neste âmbito é necessário para que o relacionamento empregatício não se torne frágil.

A maneira mais propícia de lidar com um problema, no entanto, varia dependendo da natureza do mesmo, da seriedade do assunto, de como o empregador já lidou com contratempos similares anteriormente, entre outros. Tendo isso em mente, o melhor é sempre ter bom senso e iniciar discussões de maneira amigável.

Problemas no ambiente de trabalho se materializam de várias formas e podem se manifestar de maneira horizontal (trabalhador x trabalhador) ou de maneira vertical (empregador x trabalhador). Exemplos de conflitos trabalhistas são bullying, assédio, discriminação, o não pagamento de salário, a retenção de salário (inteiro/parcial) de maneira indevida, a retenção de férias, entre outros.

Veja abaixo, exemplos de como iniciar a resolução de problemas no ambiente trabalho de acordo com o Citizens Advice:

Preparação.

Tudo que nós, como profissionais, fazemos no ambiente de trabalho, geralmente requer preparação. Seja uma apresentação, seja uma reunião, seja parte do nosso trabalho diário, entre outros. Quando se trata da resolução de problemas, é necessário agir da mesma maneira: Se preparando. Assim, é possível lembrar todos os pontos principais da reclamação e manter um registro linear sobre o que estiver ocorrendo.

Em tal preparação, é recomendado fazer anotações contendo os motivos/razões da reclamação, datas e horários relevantes (onde e quando o problema aconteceu) e tudo mais que for relevante à situação. Em se tratando de resolução de conflitos, as partes envolvidas precisam estar engajadas para que haja êxito. Assim, o trabalhador deve pensar também sobre maneiras em que seja possível resolver tal disputa. Portanto, com a preparação, é possível iniciar um diálogo saudável entre os participantes.

Inicie um diálogo verbal.

Como dito acima, a preparação facilita o início do diálogo. O diálogo deve ser iniciado com alguém que tenha o poder de resolver ou facilitar a resolução do problema: Leia-se um gerente ou alguém do departamento de recursos humanos. Marcar uma reunião informal é uma maneira eficiente de evitar  o interrompimento do decorrer da conversa. Assim, é possível relatar o problema de maneira sucinta e tentar entender o porquê de tais problemas estarem ocorrendo. Tudo isso com o intuito de procurar achar uma resolução para o conflito.

É interessante manter anotações de tudo o que é dito e combinado, caso haja eventuais problemas futuros ou a falta de acordo em um primeiro momento. As anotações poderão, até mesmo, servirem como prova de que uma tentativa de resolução foi feita caso haja a necessidade de agir mais formalmente num futuro próximo.

Inicie um diálogo em escrito.

A escrita é uma maneira permanente de diálogo. Logo, haverá chances de que um empregador tenderá à responder de maneira mais efetiva ao receber uma carta ou email, mesmo que estes sejam em um tom mais informal inicialmente.

A preparação neste tipo de diálogo tem o mesmo valor (quiçá um valor maior) que no diálogo verbal. É necessário, assim como no diálogo verbal, descrever o problema e demais detalhes com o intuito de resolver o conflito em questão.

Reclamação formal (Raising a grievance).

Uma reclamação formal, conhecida em inglês como grievance, é também uma outra alternativa na resolução de conflitos no ambiente trabalho. É possível verificar se o empregador já possui um procedimento formal de reclamações e seguí-lo. Não é necessário fazer uma reclamação formal. No entanto, caso o problema venha a ser resolvido pelo Tribunal de Trabalho, um juíz pode acabar reduzindo o valor da indenização se não for lhe apresentado uma boa razão para não ter reclamado formalmente.

Reclamações formais devem ser analisadas de maneira imparcial pelo empregador.

Entrando com uma ação trabalhista.

Ás vezes dialogar e fazer reclamações formais não faz com que o conflito seja resolvido. Assim, as duas últimas alternativas são:

  • Entrar em acordo (caso o empregador esteja disposto com o intuito de evitar uma causa trabalhista)
  • Entrar com uma ação trabalhista

Para entrar com uma ação trabalhista é necessário fazer uma conciliação antes. Conciliações são feitas através do ACAS.

É importante lembrar que o tribunal do trabalho na Inglaterra opera de uma maneira em que seja necessário entrar com uma ação dentro de três meses (menos um dia) partindo da data de quando o problema se iniciou. Então, um trabalhador deve sempre ter este período de três meses em mente ao lidar com um conflito no trabalho.

Espero que este artigo tenha sido útil e interessante!

Não esqueça de compartilhá-lo nas redes sociais.

 

*Isenção de responsabilidade: Tudo acima escrito são apenas informações e não devem ser considerados em momento algum como aconselhamento jurídico. Você deverá sempre procurar um advogado ou conselheiro qualificado para lidar com suas circunstâncias pessoais. Ao ler este texto em uma data futura, tenha em mente que as leis podem já ter sido modificadas e as informações acima deixaram de ter validade jurídica. Visite a nossa página de utilidade pública, que contém uma lista de organizações jurídicas sem fins lucrativos, as quais mantêm suas informações atualizadas de acordo com as mudanças legislatórias.

Compartilhe este artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *